FAP - Que futuro?

FAP - Que futuro?

Mensagempor PretenderHT » 20 mai 2013, 17:36

ImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagem

Este tópico servirá para debater, procurar soluções e para encontrar voluntários que queiram ajudar e participar numa nova equipa de gestão disposta a ressuscitar as FAP, adequando produção e distribuição às necessidades do Estado, exigências do país e à realidade actual.

Numa primeira fase gostaríamos de saber quem está disposto a trabalhar na equipa de gestão, assumindo tarefas administrativas, como o processamento de candidaturas, logísticas, como transacções de material e de distribuição, coordenando dano e distribuindo material aos soldados, só para citar algumas.

Está já a ser delineado um plano de intervenção, nomeadamente em termos de produção e distribuição, cujo o objectivo é dotar as FAP de uma distribuição actualizada, de acordo com o que deve ser o foco de desenvolvimento militar dos soldados e em termos de produção representar o mínimo de despesa possível para o Estado.
Esse plano será aqui apresentado para discussão, após a conclusão do estudo que decorre.
Editado pela última vez por PretenderHT em 05 jun 2013, 11:40, num total de 1 vez.
PretenderHT
Pain in tha ass
 
Mensagens: 3819
Registado: 24 abr 2011, 03:23
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: FAP - Que futuro?

Mensagempor FrostVolkoff » 20 mai 2013, 19:20

Estou aqui para ajudar no que for preciso! digam o que é preciso fazer que eu faço ^_^
FrostVolkoff
 
Mensagens: 1
Registado: 20 mai 2013, 19:19
Highscores: 0

Re: FAP - Que futuro?

Mensagempor MarcioFausto » 20 mai 2013, 19:24

PretenderHT como te tinha dito estou aqui para ajudar no que as FAP precisarem!
Força Portugal!
Força FAP!

Unidos Somos Imparáveis!!
MarcioFausto
 
Mensagens: 1
Registado: 08 mai 2013, 06:45
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: FAP - Que futuro?

Mensagempor Connor Pinho » 20 mai 2013, 22:03

Desde que a tarefa não seja complicada e que não exija muito tempo, estou livre para me disponibilizar. Se bem que uma Org não era nada má, mas não me parece que a ganhemos...
Sic semper tyrannis.
Connor Pinho
Alexander the Great
 
Mensagens: 184
Registado: 16 mar 2013, 16:27
Localização: Vale de Cambra
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: FAP - Que futuro?

Mensagempor John Bokinski » 21 mai 2013, 11:23

Eu dentro das minhas limitações ajudarei no que puder. Não me posso comprometer com distribuições porque não estou on-line muitas vezes, mas se puderem ser tarefas tratadas off-line, digam-me o que é preciso.
John Bokinski
Lana
 
Mensagens: 54
Registado: 08 fev 2009, 13:20
Highscores: 0

Re: FAP - Que futuro?

Mensagempor khaloun » 21 mai 2013, 19:18

Estou sempre disponível para ajudar no que puder.
O meu horário é limitado mas é uma questão de se ver, dependendo de ser tarefa online ou offline, visto terem necessidades diferentes.
Imagem
Nothing is true everything is permitted.
Si vis pacem, para bellum.
Aut inveniam viam aut faciam.
Avatar do Utilizador
khaloun
Plato Wanna be
 
Mensagens: 1503
Registado: 18 nov 2012, 16:57
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: FAP - Que futuro?

Mensagempor khaloun » 21 mai 2013, 19:51

PretenderHT Escreveu:adequando produção e distribuição às necessidades do Estado, exigências do país e à realidade actual.
...

de acordo com o que deve ser o foco de desenvolvimento militar dos soldados e em termos de produção representar o mínimo de despesa possível para o Estado.


Temos lido muitas vozes contra o chamado prejuizo das FAP, como chamam à despesa do estado para com as FAP.
As FAP são, para todos os efeitos, um serviço público.
E de todo e qualquer serviço público não se espera lucro mas sim que esse mesmo serviço público seja prestado.
Se o serviço público fosse sempre uma fonte de lucro, os privados iriam ocupar essa função e esse serviço deixaria por isso de ser público.
Ou seja, de forma muito resumida, o estado assume para si as despesas de um serviço que é absolutamente necessário e que os privados não executam, seja por falta de interesse ou por falta de lucro.
Quando o estado delega em privados esse serviço público, efectua o pagamento de uma compensação que, como o nome indica, compense o privado pelas receitas não geradas por esse serviço.

Tendo isto em mente, apliquemos às FAP.
A transformação das FAP em unidade tendencialmente auto-sustentável deverá ser um objectivo sempre presente. Não porque seja imediatamente, ou alguma vez, possível, mas sim porque a eliminação de desperdicios permitirá alocar os recursos para onde são mais necessários, p. ex a ajuda ao desenvolvimento de campos de treino, etc.
Ao contrário das outras MUs, por serem um serviço público, as FAP estão impedidas de obter rendimentos de outros géneros, como por exemplo a venda de dano, o que à partida limita as opções disponíveis.

Mas é preciso ter em mente que não existem almoços grátis, ou seja, não pode o governo esperar ter as FAP sempre presentes e sempre disponíveis e a custo zero.
O estado obtém das FAP beneficios tangíveis, como disponibilidade e dano, e intangíveis, como prestigio e fortalecimento de alianças, apenas como exemplo. Ora tudo isto tem custos.
As FAP são um serviço público, e como tal o estado tem de assumir certos custos.
E as FAP são de gestão privada, logo esses custos assumem a forma de compensação.

Talvez, em simultâneo com o optimização das FAP, fosse necessário discutir abertamente qual deverá ser a compensação por parte do governo, valor e género.
O abandono das FAP também tem culpas no facto de a esmagadora maioria dos CPs serem oriundos de MUs privadas, pelo que não demonstram grande interesse neste assunto.

Sem isto, temo que o futuro fique incerto para as FAP e que com o fim das FAP o estado dependa esclusivamente das MUs privadas e da boa vontade delas. E sabemos o que isto significa.
Basta observar os últimos 2 meses, com o NAP com a Espanha, para ver que as FAP ainda são a única forma de o governo ter autonomia militar.

Também é de certo ponto rídiculo, chorarem os tostões pagos às FAP comparados com os milhares que geralmente se pagou a mercenários.
Imagem
Nothing is true everything is permitted.
Si vis pacem, para bellum.
Aut inveniam viam aut faciam.
Avatar do Utilizador
khaloun
Plato Wanna be
 
Mensagens: 1503
Registado: 18 nov 2012, 16:57
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: FAP - Que futuro?

Mensagempor PretenderHT » 11 jun 2013, 03:43

FAP - Presente, Futuro e desafios

Presente

Desde a passagem da equipa de gestão para mãos "privadas", com o intuito de estabilizar a estrutura e politicas dentro das FAP, que ora eram ignoradas por sucessivos governos, ou eram alvo de constantes remodelações consoante as ideias dos mais diversos governos, prejudicando assim o normal funcionamento, desenvolvimento e crescimento da MU, tem-se procedido à venda de stocks acumulados e produção do mês para que as FAP não representassem qualquer encargo para o Governo, atendendo à frágil situação económica que temos enfrentado.

As operações nas FAP têm-se baseado na inexistência de distribuição, por falta de iniciativa e ordens dos governos, assim como pela necessidade de venda de quase toda a produção mensal para sustentar o actual modelo de produção e toda a estrutura de soldados empregada nesse mesmo modelo.

Para além disso, o modelo de distribuição ainda em vigor, está completamente desactualizado e desajustado da realidade e do que o país e os seus soldados necessitam, contribuindo para o incentivo à luta nas divisões mais baixas, quando o estimulo deve ser precisamente o contrário.

Resumindo, temos uma MU de elevado potencial, inactiva, com processos de produção e distribuição ultrapassados e desajustados da realidade.

Futuro

Creio que enquanto não houver uma real capacidade de amostragem da capacidade de dano e coordenação das FAP, tanto governos, como congresso e cidadãos estarão relutantes em aceitar financiar futuros investimentos nas FAP, pois porquê investir numas Forças Armadas, quando estas não produzem retorno no campo de batalha ou em matéria de desenvolvimento militar aos seus soldados?

Posto isto, parece-me claro que as FAP terão que encontrar um modelo de produção e distribuição que não só não representem encargos para o Estado, mas também que permitam aos seus soldados evoluir, lutar frequentemente e fortalecerem-se por intermédio de apoios.
Só assim se conseguirá reconquistar a confiança da população, governos e congresso, assim como a dos próprios soldados, dinamizando a actividade interna e motivando os seus soldados, para que todo o potencial seja aproveitado e optimizado, não só para os propósitos que as FAP devem servir, assim como para a partir disso lucrarem também.

Desafios

Actualmente as FAP têm emprestadas:
9 fábricas de armas Q7
2 fábricas de armas Q6
3 fábricas de food Q5

Com os actuais ordenados:
AMP - 15pte
BLI - 15pte
BRR - 5pte
FE - 5pte

Com a seguinte distribuição:
- AMP -> até duas distribuições por dia de armas Q6 e comida correspondentes à vida que puderes usar para lutar no momento em que pedes a distribuição mais armas Q6 por distribuição correspondentes às FF disponíveis. Cada distribuição tem um máximo de 50ff (ou 500 de vida).
- BLI -> 1 distribuição diária de armas Q6 e comida correspondente à vida que puderes usar para lutar no momento em que pedes a distribuição. A distribuição tem um máximo de 90ff (ou 900 de vida).
- BRR -> até 2 distribuições diárias apenas de armas Q7. Cada distribuição tem um máximo de 75ff (ou 750 de vida).
- FE -> até 2 distribuições diárias apenas de armas Q7

O grande desafio estará em encontrar um modelo optimizado de produção que permita que as FAP sejam sustentáveis do ponto de vista económico, mas também que tenham uma distribuição suficientemente atraente e competitiva perante as outras MUs.
Isto atendendo ao facto de que como as empresas são emprestadas, não se podem fazer exigências aos seus donos e os mesmo não estão receptivos a grandes mudanças ou em modelos que exijam muito mais trabalho do que o que já têm actualmente, nomeadamente modelos assentes em doações de raw para a produção.

Este tipo de limitações restringe bastante as opções e alternativas possíveis, para que se encontre um modelo que funcione e corresponda às necessidades actuais, no entanto, conto em breve apresentar uma proposta, que se tentará ao máximo enquadrar com as necessidades actuais em termos de distribuição e estratégia interna de crescimento e desenvolvimento, mas que terá serias limitações em termos de sustentabilidade e produção, ou seja, não é possível vislumbrar um modelo perfeito e que funcione de forma fixa e permanente na relação produção-distribuição, haverá sempre necessidade de ajustar e flexibilizar consoante o fluxo de consumo e produção.

É urgente resolver esta questão de base, pois só definindo estas componentes essenciais da vida de qualquer MU, se poderá dar os passos seguintes em termos de estrutura e dinamização interna, motivação, criação de apoios e iniciativas, etc..

Todos aqueles que tenham ideias ou sugestões a fazer, poderão fazê-lo neste mesmo tópico, pois toda a ajuda é bem-vinda.
Do mesmo modo, todos aqueles que desejem fazer parte de uma futura equipa de gestão e contribuir para a ressurreição das FAP, evitando que estas morram ou desapareçam, deverão entrar em contacto comigo.
PretenderHT
Pain in tha ass
 
Mensagens: 3819
Registado: 24 abr 2011, 03:23
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: FAP - Que futuro?

Mensagempor IDEIAS » 11 jun 2013, 06:35

Boas.

Isto revolta-me, dá-me vontade de começar a disparar para todo o lado, mas por outro lado nem tu (PretenderHT) tens culpa, nem eu, nem ninguém em particular, mas sim todos no geral.
Digo isto, pois revolta-me de ver, as FAP a morrerem, e a se querer a nível geral, que as FAP funcionem como uma empresa que tem que dar lucros, ou melhor, não pode dar prejuízos, quando isso é irrealista, sendo que as FAP são estatais, funcionam (ou deveriam funcionar) como arma politica dos Gov's de PT, e estão ao seu dispor para obedecer sem questionar (praticamente), a lutar onde o MoD e os Gov's sucessivos que passam pela Presidência, mandem lutar.

Posto isto, não percebo, como em MU's privadas, e vou dar aqui o exemplo dos LUP, existe jogadores que prescindem do seu Gold, ganho em medalhas de referers ou comprado com Euros, não interessa, pois é Gold que é seu, e usam esse Gold para pagar ordenados altos e assim ajudar os elementos da MU a evoluir (exemplo: 200 PTE's a jogadores/Trabalhadores da Div's 1 e 2, e 50 PTE's a jogadores/Trabalhadores das Div's 3 e 4), além de armamento em distribuições para lutar coordenado, e armas de Q1 até Q6 para os jogadores de Div's baixas, poderem fabricar rockets e assim poderem ganhar Gold através de medalhas de BH, com esses mesmos rockets, sem que ganhem XP's a lutar com armas normais, podendo evoluir a Força e chegar às Div's superiores no futuro, consideravelmente mais fortes, e depois olhamos para as FAP que pertencem ao Gov, são estatais, e onde o estado recebe os impostos de todos os Portugueses e não só, pelas vendas efectuadas no mercado local, e não se quer, ou não estão esses mesmos Gov's disponiveis, para meter essas verbas, senão todas, pelo menos em parte, nas FAP afim de se poder dar incentivos que agarrem jogadores, e que faça com que as FAP tenham um poderio considerável, e com grande utilidade.

Vê-se por isso os jogadores novatos a permanecer nas FAP apenas até perceberem os mecanismos do jogo, e até serem convidados e irem para outras MU's, e os jogadores mais fortes, que estão ou estavam nas FAP, acabam por sair, pois as FAP não se propôe a fazer nada ou a dar as condições, para que estas deveriam existir, e condições que deveriam de dar, para que não se visse os jogadores que poderiam ajudar os novatos, e que fariam com que as FAP fosse uma força respeitavel, a sairem pois nas FAP não têm condições nem de jogabilidade, nem de ajuda, nem sequer de espirito de grupo.

Dá pena isto, e por muito que não me queira ir embora, e k insista em permanecer nas FAP, pois são a casa onde me iniciei no jogo, e onde eu gosto de estar, mas é inglorio tudo isto, pois os jogadores que entram e k ajudamos a perceber o jogo e a evoluir, acabam por sair sempre, pois as FAP não dá condições a que estes permaneçam e se mantenham por cá, voltando ao mesmo de se ajudar novos que entram, e que voltam a sair pouco tempo depois, mal percebam que existe outras MU's que lhes dão melhores condições, e diga-se, eu faria o mesmo que eles, se não tivesse como comprar Gold e assim evoluir a minha conta, mas é triste, ter uma MU estatal que deveria dar melhores condições que todas as outras, a ter cada vez menos, e chegar ao ridiculo de se falar em lucros e prejuízos, como se a MU estatal fosse uma empresa, e não podesse dar prejuízos, quando o objectivo é formar novos jogadores, dar-lhes condições para que evoluam e fiquem mais fortes para que de futuro lutem pelo País segundo as ordens do MoD/Gov.

Se é para isto, então que se termine com a ligação ao estado duma vez, termine-se com o termo estatal, e passe-se a ser uma MU privada, que gere os seus gastos, distribuições, trabalhos, armamentos etc etc etc, consoante as ajudas dos jogadores, consoante as fábricas que temos, e olhando apenas e só aos nossos lucros ou prejuízos, pois assim poderemos vender o dano dos jogadores a outros países e assim financiar os custos com os novatos.

Agora se for pa ter a ligação ao estado, pare-se com este eufemismo de não se querer ter despesas com as distribuições, ordenados, whorever, pois isso a meu ver e com o estado a ter uma força k luta onde o estado manda e que segue as suas ordens, não faz sentido, ainda para mais quando recebe e gere o dinheiro dos impostos para isso mesmo, ou também para isso, para ter uma força o melhor possivel, pois de futuro será uma mais valia para ele próprio e para todos nós enquanto país no geral.

mas enfim, acho dificil chegarem a qualquer consenso, pois as FAP para dar lucro, ou melhor, para não se ter prejuízo, nunca poderão das as condições dadas em outras MU's (Privadas), e se as quiserem revitalizar, angariar jogadores, e ter novatos a evoluir e a permanecer, nunca se consegue isso se for para o Estado não ter prejuízos com a MU estatal, mas poder colher depois frutos, com os jogadores da MU a lutarem onde querem ou precisam, é irrealista isso.

Uma coisa é a gestão das FAP serem privatizadas, pois não era vantajoso para ninguém, a cada mudança de Governo, os membros estarem a mudar, e as coisas a passarem de mão de mês a mês com o trabalho e falta de dinamismo que isso acarretava, agora outra totalmente diferente, é querer fazer da produção, distribuição, gastos, etc, uma privatização, ao ponto de o Gov abdicar de meter fundos na MU estatal, pois assim não se conseguirá nada, pois a não ser meia duzia de jogadores antigos k permanecem nas FAP, e os novatos que quando entram não sabem bem os mecanismos do jogo, o resto, após perceber e ver que existe MU's Privadas a dar melhores condições, obviamente que saiem e abdicam de pertencer à MU estatal, pois esta não lhes dá condições de evoluirem e poderem permanecer, ou pelo menos, não lhes dá tão boas condições quanto outras MU's em PT, e saiem obviamente, não se conseguindo assim, ter nunca um exército forte, e com o dinamismo esperado.

Oh bem que se aposta na MU estatal e se dá condições para tal, ou então, mais vale terminar, e fazer da MU uma MU privada, sem ligações ao estado, e o estado pegue nos dinheiros k ganha dos impostos e pague premios para joguinhos de snooker, e para contratações de mercenários quando preciso, pois assim, não vale a pena se ter uma MU estatal, pois nunca se consegue ter um exército forte, sem se lhes dar as condições para isso.

É a minha opinião, e é com pena que de à um tempo a esta parte, vejo a MU estatal cada vez mais enfraquecida, e a pontos de quase ninguém restar, que faça diferença aquando das batalhas, a não ser a meia duzia do costume, que se arrastam, e tentam levar a MU nem se sabe muito bem aonde, mas enfim.
                      Imagem
Avatar do Utilizador
IDEIAS
Pain in tha ass
 
Mensagens: 2734
Registado: 16 ago 2012, 20:43
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: FAP - Que futuro?

Mensagempor Citizen 99 » 11 jun 2013, 08:21

mais vale terminar, e fazer da MU uma MU privada, sem ligações ao estado


Isso é muito bonito e vai ao encontro do que tenho estado a dizer, mas as FAP têm quilos de PTE lá enterrado do MoD. Se querem ser independentes do MoD sem que haja aproveitamento de fundos do estado, convém que se faça a devolução dos fundos investidos nas FAP.

Sendo que essa análise às FAP para perceber quais são esses fundos já está feita, estou só à espera da gestão da FAP que faça a verificação dos dados e aprovação para publicação.

O ideal a meu ver, era o MoD implementar o SDND, ou algo semelhante, que permitisse as FAP terem independência completa de gestão do MoD mas seriam recompensadas pelo dano realizado face às ordens. Em relação aos fundos investidos do MoD, estes poderiam ser neste sistema pagos pouco a pouco (15% do prémio, por exemplo) com o dano realizado pelas FAP.

Apenas assim se poderá ter uma transição saudável e implementando ao mesmo tempo um sistema superior de financiamento, organização e realização de dano por MUs às ordens do MoD, superior tanto ao sistema antigo de financiamento das FAP como às actuais distribuições feitas pelo MoD.

Isto iria dar margem de manobra para as FAP se auto-organizarem face aos incentivos criados pelo SDND, e sempre em competição com outras MUs pelos mesmos prémios. Claro que isto não vai substituir o trabalho necessário a desenvolver pela gestão das FAP para se equipararem a outras MUs, mas cria-se o sistema que incentiva tal desenvolvimento, e pode também resolver outros problemas, como coordenação de MUs, etc.
Avatar do Utilizador
Citizen 99
Napoleon
 
Mensagens: 586
Registado: 03 abr 2013, 00:31
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: FAP - Que futuro?

Mensagempor SRoque » 11 jun 2013, 10:10

A meu ver, eu concordo em muito com o que disse o IDEAS...

só cá permanecemos quase por carolisse e amor à camisola...

No plano do PretenderHT, vi foco na distribuição, dano e sustentabilidade financeira...

quando na realidade deveria estar a dar foco no desenvolvimento dos seus elementos...

O que é que atrai mais que tudo numa MU? é a perspectiva de eles nos ajudarem a desenvolver os campos de treino e esses trazerem frutos mais tarde...

a meu ver passava por ai, já vi vários programas de empréstimo de gold a novatos e ao programa rockets para as BH e o caraças... mas depois... é algo esporádico e que nem sei se ainda existem actualmente...

Os putos, se conseguíssemos que todos eles evoluíssem pelo menos o free e o 0.19 a Q4 e com rockets conseguissem BH e fossem devolvendo todo o gold investido neles... era perfeito...

eu na D3, com 3 dos campos de treino a Q4, preferia que me ajudassem a evoluir o ultimo campo a Q4 e me permitissem evoluir à patrão com os planos a 90% que todas as Q7 que me pudessem dar nos próximos anos... ^^,

Claro que a MU vive do dano que promove e hoje as FAP estão mortas... tem que se traçar um plano bem definido neste campo.. eu já n m lembro de ir ao canal e haver dist ou uma batalha que devesse ser combatida...
Imagem
Avatar do Utilizador
SRoque
Napoleon
 
Mensagens: 656
Registado: 30 abr 2012, 10:44
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: FAP - Que futuro?

Mensagempor Connor Pinho » 11 jun 2013, 11:31

PretenderHT Escreveu:
Resumindo, temos uma MU de elevado potencial, inactiva, com processos de produção e distribuição ultrapassados e desajustados da realidade.


Acabaste de descrever Portugal na RL. (muda «MU» para «Potugal» e «uma» para «um»)

Agora a sério: não tenho nada a dizer sobre a situação atual. Nunca precisei, como muitos outros, de distribuições pois sou mais que auto-suficiente (graças a vendas ganho +/- 25 PTE's diários sem comprometer o meu próprio consumo). Por isso, se eu consegui outros também serão capazes. Na minha humilde opinião, penso que o que as FAP deveriam fazer e investir em é na auto-suficiência dos seus soldados. Não seria necessária Distribuição e, através de acordos com os beneficiários nos quais as FAP investiram podíamos todos contribuir com alguns PTE's diários.

Portanto, se cada um de nós contribuir, graças a vendas, com 2 PTE's diários obteriamos +/- 1000 PTE's/dia mais o que as empresas FAP vendem.

Em suma: é difícil? Sim. É moroso? Sim. É arriscado? Não, é arriscadíssimo (sócios). Temos opções? Claro, mas não muitas.
Editado pela última vez por Connor Pinho em 11 jun 2013, 11:41, num total de 1 vez.
Sic semper tyrannis.
Connor Pinho
Alexander the Great
 
Mensagens: 184
Registado: 16 mar 2013, 16:27
Localização: Vale de Cambra
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: FAP - Que futuro?

Mensagempor Citizen 99 » 11 jun 2013, 11:35

Connor Pinho Escreveu:
PretenderHT Escreveu:
Resumindo, temos uma MU de elevado potencial, inactiva, com processos de produção e distribuição ultrapassados e desajustados da realidade.


Acabaste de descrever Portugal na RL. (muda «MU» para «Potugal» e «uma» para «um»


Sim, e ambos resultado da intervenção/regulação excessiva do governo. :god:
Avatar do Utilizador
Citizen 99
Napoleon
 
Mensagens: 586
Registado: 03 abr 2013, 00:31
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: FAP - Que futuro?

Mensagempor John Bokinski » 11 jun 2013, 19:59

Partilho de muito daquilo que foi dito pelo Ideias, quer no que respeita a frustação pela forma como o estado olha para as FAP, quer no que respeita à menor capacidade das FAP actualmente em campo de batalha. Mas mesmo neste estado frágil, as FAP ainda é a MU com maior capacidade na nossa D2 e D3. E a segunda na D1 e D4. Ou seja, ainda é uma força militar fundamental no nosso país.

Existe 2 pontos que gostava de fazer contraditório:

1 - Não me preocupa que os novos elementos que entram nas FAP saiam para outras MU's que lhes dão melhor condições. As FAP nunca foram criadas para promover elites, foram para formar a base da nossa população. Se um jogador depois de uma introdução inicial ao jogo quer avançar para uma aliança que lhe dá benefícios adicionais por ser extremamente activo, não vejo nenhum mal nisso.

O que me preocupa é a saída de elementos da estrutura das FAP. Jogadores experientes que tinham aceite fazer das FAP a sua casa e eram fundamentais para manter a casa a funcionar. Com a saída de cada um desses, perdemos muita experiência e capacidade de formação e organização. A saída de elementos da estrutura é que afecta as FAP, não a saída de elementos jovens recém-formados.

2 - As FAP nunca poderão ser verdadeiramente privadas. Deve existir uma gestão profissional, separada do poder político das mesma (que em substancia já existe) mas tornando-se uma MU privada, então não serão as FAP, serão outra coisa. Seguir esse caminho seria acabar com as FAP.

O segundo ponto que gostaria de enfatizar é a falta de visão dos sucessivos governos nesta área.

Durante o passado ano, foram gastos milhões de PTE na compra de mercenários para lutar contra Espanha. Parte da necessidade de comprar este dano deveu-se ao enfraquecimento da relevância das FAP como força militar dominante no panorama nacional. Em grande medida, fomos forçados a assinar um NAP humilhante com Espanha porque já não tinhamos dinheiro para continuar a financiar essa guerra. Ao deixarem cair as FAP os sucessivos governos criaram as condições para que Portugal deixe de ter condições para financiar as suas guerras, e esta situação ocorreu num cenário em que a maioria das MU's privadas cooperaram com o governo.

Num cenário em que as MU's privadas não estejam alinhadas com o governo (basta olhar para o Brasil) deixar cair as FAP é limitar em muito a capacidade do governo de exercer as suas funções. Um governo que depende das lideranças das MU's privadas para tomar uma acção militar põe em causa a própria soberania do país.

Por isso, não posso de deixar de sentir revolta quando falam dos custos das FAP quando gastámos milhões de PTE a comprar dano privado e quando dezenas de jogadores portugueses andam a receber salários abaixo de preços de mercado, praticamente sem receberem qualquer distribuição e outros cedem as suas empresas a custo zero, alguns deles há anos para de alguma forma mitigar os custos da MU.

Hoje Portugal vive numa encruzilhada. Os caminhos disponíveis para seguir apresentam riscos elevados de exequibilidade e de descaracterização do que somos como comunidade. Estes factos são agravados pela incapacidade da comunidade de criar estruturas comuns que possam ser suportadas por todos.

Existem projectos privados de grande valor, a LUP é uma MU que tem realizado um grande trabalho, tal como os MEK no passado. Mas os projectos privados são por definição projectos dos seus promotores, por vezes basta um ou dois abandonarem o jogo para os projectos desaparecerem ou perderem força. Já aconteceu com várias MU's privadas e já aconteceu por exemplo com o eRepnoobs. Cabe ao governo criar as condições para que as estruturas que são comuns não sejam abandonadas. O trabalho que foi feito nos últimos 12 meses foi insuficiente.
John Bokinski
Lana
 
Mensagens: 54
Registado: 08 fev 2009, 13:20
Highscores: 0

Re: FAP - Que futuro?

Mensagempor Foxmanpt » 11 jun 2013, 22:36

Boas pessoal!
Desde ja digo que ainda so um novato neste jogo mas tenho vindo sempre a observar o que posso.
E nao posso dizer o que o pessoal que ja joga a isto a muito tempo diz , sendo principalmente a diferença na expriencia.

Eu Jogo a 2 meses e posso dizer que no inicio como todos nao sabia nada, mas no entanto integrei me logo nas fap e foi la que tive as primeiras trocas de contactos e expriencias e graças as fap neste momento me sinto ja integrado no e que recebi fundos para me ajudar na evoluçao que faço questao de pagar...mas acho que e onde tem o melhor pessoal, no inicio houve quem me disse-se para ir para outra unidade militar porque sabia que eu nas fap nao iria receber os apoios que precisava, contudo ainda hoje la permaneço.

A minha opiniao modesta e que as Fap sao e continuao a ser uma instituiçao importantissimo para Portugal
Foxmanpt
Caesar
 
Mensagens: 305
Registado: 22 mai 2013, 16:46
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: FAP - Que futuro?

Mensagempor patacofalso » 12 jun 2013, 00:03

Contem comigo para o que precisarem!
Subscrevo o que o IDEIAS disse
o PCeP é fixe, o resto que se lixe! \o/
Imagem
Avatar do Utilizador
patacofalso
Caesar
 
Mensagens: 235
Registado: 30 Oct 2012, 23:47
Localização: Açores
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: FAP - Que futuro?

Mensagempor Citizen 99 » 12 jun 2013, 14:30

por vezes basta um ou dois abandonarem o jogo para os projectos desaparecerem ou perderem força. Já aconteceu com várias MU's privadas e já aconteceu por exemplo com o eRepnoobs. Cabe ao governo criar as condições para que as estruturas que são comuns não sejam abandonadas. O trabalho que foi feito nos últimos 12 meses foi insuficiente.


E o mesmo acontece com as FAP e a gestão das mesmas. O mais problemático neste caso, é que com a queda de jogadores importantes na sua gestão, deixa-se tudo como está.

Um sistema como SDND, tem isso em conta, se uma MU falhar começa a perder também financiamento, e outras MUs são incentivadas a substituir a MU em quebra. O problema aqui é que se a FAP falha fica tudo a olhar para o ar à espera do S. Sebastião que vem salvar as FAP e restaura-las à glória de outros tempos e fica entretanto a defesa nacional comprometida. Portugal precisa de algo mais robusto do que isto...
Avatar do Utilizador
Citizen 99
Napoleon
 
Mensagens: 586
Registado: 03 abr 2013, 00:31
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: FAP - Que futuro?

Mensagempor Citizen 99 » 18 jun 2013, 20:03

Acho que está análise das FAP é importante para este assunto:
http://www.erepublik.com/en/article/an- ... 78516/1/20
Avatar do Utilizador
Citizen 99
Napoleon
 
Mensagens: 586
Registado: 03 abr 2013, 00:31
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: FAP - Que futuro?

Mensagempor silvatuga » 23 jan 2014, 19:25

O raio com as despesas, a liberdade do nosso pais primeiro!!!!!!!!!!!! :rant: :rant:
silvatuga
 
Mensagens: 3
Registado: 23 jan 2014, 19:22
Highscores: 0
Profile @ eRepublik


Voltar para Forças Armadas Portuguesas

Quem está ligado:

Utilizador a ver este Fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante

cron