César das Neves

Re: César das Neves

Mensagempor Dr. Dog » 22 nov 2013, 11:14

SanosukePT Escreveu:Se o salário mínimo descesse para os 435€, aí sim, poderíamos resolver alguns problemas

... Said someone that doesn't survive with 485€ month, definitely :slap:



Ok nao tens a minima noção acerca do funcionamento do mercado de trabalho, e de coisas como contrato colectivo de trabalho.

Se as tivesses saberias que diminuir o salário mínimo não iria diminuir o rendimento de quem ja trabalha.

Iria sim permitir aos empregadores equacionar a contratação de mais pessoal.

Porque como ja disse os mais pobres não são os que têm emprego mas sim os desempregados.


E Portugal é um país de pmes. Sabes qual o peso dos custos com pessoal no total de custos de uma empresa? Pois ronda os 30-40%, nas empresas que sobrevivem.
Imagem
Avatar do Utilizador
Dr. Dog
Plato Wanna be
 
Mensagens: 1665
Registado: 27 jan 2013, 22:49
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: César das Neves

Mensagempor SanosukePT » 22 nov 2013, 13:37

Dr. Dog Escreveu:
SanosukePT Escreveu:Se o salário mínimo descesse para os 435€, aí sim, poderíamos resolver alguns problemas

... Said someone that doesn't survive with 485€ month, definitely :slap:



Ok nao tens a minima noção acerca do funcionamento do mercado de trabalho, e de coisas como contrato colectivo de trabalho.

Se as tivesses saberias que diminuir o salário mínimo não iria diminuir o rendimento de quem ja trabalha.

Iria sim permitir aos empregadores equacionar a contratação de mais pessoal.

Porque como ja disse os mais pobres não são os que têm emprego mas sim os desempregados.


E Portugal é um país de pmes. Sabes qual o peso dos custos com pessoal no total de custos de uma empresa? Pois ronda os 30-40%, nas empresas que sobrevivem.


Eu tenho noção do que é viver com 485€ e ouvir pessoas dizer que tirar-lhe 50€ é do melhor.

Temos tanto por onde nos preocupar, como TSU, como referiste, duplas taxações, fugas ao fisco... e andamos a pensar em tirar a quem pouco tem
SanosukePT
Plato Wanna be
 
Mensagens: 1158
Registado: 10 Oct 2013, 23:45
Highscores: 1
Profile @ eRepublik

Re: César das Neves

Mensagempor Dr. Dog » 22 nov 2013, 13:56

Pronto.

Se achas que quem ja tem emprego com contrato assinado a 485 € será abrangido pir uma redução do salário mínimo nacional estás enganado.
Imagem
Avatar do Utilizador
Dr. Dog
Plato Wanna be
 
Mensagens: 1665
Registado: 27 jan 2013, 22:49
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: César das Neves

Mensagempor Bitorino » 22 nov 2013, 14:22

Salários e competitividade
http://economico.sapo.pt/noticias/salarios-e-competitividade_83408.html

Recorrentemente, alguns economistas estrangeiros e portugueses vêm sugerir uma descida de salários nominais como forma da nossa economia ganhar, ou melhor, recuperar a competitividade externa que tem perdido desde meados dos anos noventa.

O problema de se fazerem afirmações como estas é que elas se referem a um assunto muito sério, que afecta de forma directa o rendimento de milhões de famílias e que, portanto exigiriam à partida uma fundamentação económica clara. O justificado alarme público que tais declarações provocam imporia, com efeito, que quem as faz demonstrasse com cálculos credíveis a justeza da sua proposta.

Do nosso ponto de vista, a proposta de redução salarial no sentido de melhorar a competitividade não tem qualquer fundamento técnico-económico sólido e revela que quem a sugere não fez um mínimo de cálculos sérios sobre o assunto.

Tentámos, por isso avaliar em que medida se justificaria uma redução salarial nominal para obtermos uma melhoria da competitividade. Para isso, como base na matriz de relações inter-industriais de 2005 (fluxos nacionais) calculámos o conteúdo em salários - conteúdo directo e indirecto (este último através das matérias-primas e outros fornecimentos que o sector exportador consome) - do sector exportador. E chegámos à conclusão que esse conteúdo é de cerca de 33%, ou seja, se os salários diminuírem (ou aumentarem) 10% os preços das exportações, tudo o resto se mantendo constante, caem (ou sobem) 3,3%. O que é que isto significa? Significa que a descida de salários é um instrumento particularmente ineficaz para melhorar a competitividade externa. Por exemplo, para se atingir uma melhoria de 20% na competitividade externa os salários teriam de descer 60%!

Porque é que isto sucede? Por um a razão evidente: é que o conteúdo directo e indirecto em importações das exportações portuguesas é muito elevado (cerca de 40%, de que uma parte importante tem a ver com o petróleo) pelo que só os restantes 60% do valor das exportações são repartidos entre salários e rendimentos do capital.

E, note-se, nem sequer argumentamos com outros efeitos da descida salarial claramente inaceitáveis, como seja o seu impacte na solvência das famílias que recebem rendimentos salariais, as quais veriam os seus rendimentos descer ao mesmo tempo que as dívidas que contraíram se manteriam no mesmo valor.

A nossa conclusão é a de que quem advoga uma descida geral dos salários nominais para melhorar a competitividade externa teria toda a vantagem em fazer algumas contas.

Com a co-autoria de João Carlos Lopes, professor no ISEG
____

João Ferreira do Amaral, Professor do ISEG
Avatar do Utilizador
Bitorino
No Lifer
 
Mensagens: 7181
Registado: 28 Oct 2011, 16:04
Localização: Norte
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: César das Neves

Mensagempor Dr. Dog » 22 nov 2013, 15:16

Bitorino estamos a a falar de salário mínimo e nao de salário nominal.

O salário nominal refere-se ao salário de todo e cada un trabalhador receba 500 ou mil euros.
Imagem
Avatar do Utilizador
Dr. Dog
Plato Wanna be
 
Mensagens: 1665
Registado: 27 jan 2013, 22:49
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: César das Neves

Mensagempor Citizen 99 » 22 nov 2013, 15:39

Para além disso, acho que o César das Neves nem sequer falou em baixar os salários nominais.

Mas já que trouxeste para aqui esse texto.

E chegámos à conclusão que esse conteúdo é de cerca de 33%, ou seja, se os salários diminuírem (ou aumentarem) 10% os preços das exportações, tudo o resto se mantendo constante, caem (ou sobem) 3,3%.


Aqui, a frase importante, é "tudo o resto se mantendo constante", mas desde quando é que tudo o resto se mantém constante quando descem salários nominais? Tudo muda, todos os sectores, todos os indicadores seriam afectados. Para além de que o que seria de se esperar é que o aumento da competitividade/produtividade associado a essa descida dos salários permitiria então incentivar a aumento do capital e investimentos, daí que seriam muito mais que esses 3,3% a longo prazo.

Apesar do professor está correcto no que diz, "competitividade externa" não é a história toda, nem é de se esperar que manteria-se tudo o resto igual.

Por falar em descer salários:

O FMI veio repetir o que toda a gente já sabe. Num documento com 88 páginas (24 menos que o relatório do Portas), existe apenas uma página com um pequeno texto e 4 gráficos onde é afirmado que o ajustamento do mercado de trabalho se está a fazer principalmente pela destruição do emprego das pessoas com menor escolaridade e que as empresas do sector transaccionável (que são o motor das exportações) estão a trabalhar com margem de lucro muito baixa (que as levará ao desinvestimento). Então, para resolver estes dois problemas afirma que é preciso flexibilizar os salários dos privados (em baixa).
Mas o relatório não afirma que todos os salários têm que descer. Diz apenas que, pontualmente, os custos do trabalho têm que ajustar (diminuir) às difíceis condições da nossa economia principalmente dos actualmente desempregados que têm menor escolaridade. Caso contrário, essas pessoas terão muita dificuldade em arranjar um novo emprego.
[...]
Será mesmo preciso descermos os salários?
Não é bem um descer generalizado porque a nossa balança comercial está, pela primeira vez desde os anos 1940, equilibrada. É antes preciso flexibilizar o salário (ou o horário semanal) de cada trabalhador para haver um ajustamento micro.

Pedro Cosme da Costa Vieira - Professor FEUP
A flexibilização dos salários em baixa


Mais sobre o salário mínimo, se tiverem interessados.
Estão sempre a sair notícias interessantes.
A primeira é que os tiranosauros rex não se extinguiram mas evoluiram até se trasformarem nas nossas galinhas. Esta tem lógica.
A segunda é que a OIT - Organização Internacional do Trabalho defende que a solução para acabar com o nosso desemprego é subir o SMN. Esta já me parece totalmente alucinada.

Pedro Cosme da Costa Vieira - Professor FEUP
O Salário Mínimo tem que descer e não subir


Mas não quero que fiquem com susceptibilidades feridas ao ler o blog do Professor Pedro Cosme da Costa Vieira, por isso tenham cuidado!

Imagem
Fig. 2 - Eu era gorda mas segui a recomendação da OIT de comer mais para emagrecer.
Argumentam que, como comer gasta calorias a mastigar e a digerir a comida, comer mais faz emagrecer.
Avatar do Utilizador
Citizen 99
Napoleon
 
Mensagens: 586
Registado: 03 abr 2013, 00:31
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: César das Neves

Mensagempor Juhannus Petrus » 11 jan 2014, 22:24

http://www.jornaldenegocios.pt/economia/politica/detalhe/pires_de_lima_nao_ha_um_modelo_empresarial_de_sucesso_baseado_em_pobres_salarios.html

Citizen, aconselho-te a leitura... Já que estás para aqui a dizer que o aumento do salário mínimo trará o fim do país.
Juhannus Petrus
 
Highscores: 0

Re: César das Neves

Mensagempor Guesse » 12 jan 2014, 01:48

Citizen 99 Escreveu:Eu não estava a argumentar contra o que eles disseram, estava só a referir que como eles não são o que normalmente se considera por economistas, que pelo o que eu disse já não era de se esperar tanto consenso.

"mostrar que em economia, como quase em tudo na vida, não existem verdades absolutas."

Quando esse consenso existe.

According to a 1978 article in the American Economic Review, 90 percent of the economists surveyed agreed that the minimum wage increases unemployment among low-skilled workers.

http://en.wikipedia.org/wiki/Minimum_wa ... economists

Se é para argumentar contra o que eles disseram no relatório, tinha que começar por ler o relatório, coisa que não fiz.


Do nosso ponto de vista, a proposta de redução salarial no sentido de melhorar a competitividade não tem qualquer fundamento técnico-económico sólido e revela que quem a sugere não fez um mínimo de cálculos sérios sobre o assunto.


Bom, como estudante de economia, gestor de uma empresa e licenciado em gestão, tenho que vir deixar o meu bitaite porque já é o segundo grande disparate que vejo no mesmo tópico. Além disso, já é o segundo "economista" que vem dizer o mesmo. Primeiro foi o da Sonae, o Belmiro, e agora um (que eu pensava) bom escritor e estudioso da área.

Na verdade, em economia, diz-se que a redução do salário mínimo aumenta o emprego porque aumenta o poder competitivo das empresas. Mas só, ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE, num cenário de expansão. Posso demonstrar-vos isto com números, mas epa... É meia-noite e meia, estou cansado por causa da época de exames, e é uma coisa que dá trabalho. Mas enfim, por muito estranho que pareça, é uma realidade. Por outro lado, num cenário de retração, como o nosso, é uma situação bem pior - daí se criticar muito esta situação. Efetivamente, com a abolição de salários mínimos, as empresas têm maiores lucros. O ganho no excedente do produtor é muito superior à perda no excedente do consumidor - i.e., as empresas aumentam os lucros em 50%, mas os consumidores perdem 200%. (um mero exemplo, mas o princípio é esse EP > EC).

Fico muito infeliz e triste por ver o diretor de uma escola conceituada mandar um prego desses (2º Quote). O que eu disse acima é referido em Economia básica (não economia 101, mas possivelmente na 201).
Como vocês sabem, o consumismo é fundamental numa economia capitalista. Isto justifica porque é que numa altura de crise, não se justifica economicamente baixar o salário mínimo, mas numa altura expansionista sim. Como foi dito aqui, aumenta a competitivadade das empresas.
Sobre criar postos de trabalho, a história é outra - e aí eu acho que o problema não é de agora, sempre existiu, apenas sempre foi ignorado porque estava nos parâmetros considerados "normais". Eu trabalho com estrangeiros e os meus superiores são estrangeiros. Eu vejo a mentalidade deles relativamente às empresas, economia e impostos; Depois comparo com os meus colegas de trabalho, nacionais, portugueses (e gente bem formada, atenção) e ... Enfim, percebo porque há tanta coisa errada no mercado de trabalho. Andei meio-ano à procura de emprego. Não me quiseram empregar porque estava no mestrado (lol). Os estágios do IEFP são pagos a preço de escravo - Por amor de deus, um licenciado receber 600€? Ele paga o dobro disso em propinas num ano de faculdade !?!? Como esperam um jovem de 25-30 anos poder viver e consumir (para agitar a economia) com 600€ por mês? Exacto, não se consome, raciona-se a comida, começa-se a ir para o PC à luz da vela como eu fiz na licenciatura, começas a meter 500 peças de roupa em cima para não ligares o aquecedor, como eu fiz também.
Portugal não tem coragem para fazer o que se faz noutros países. Portugal virou "le bitch" da UE quando fez a adesão. Houve coisas que se compreendem, outras que era preciso alguém com tomates para bater o pé e meter juízo nas coisas. Falo das frotas pecuárias, falo das restrições agrícolas aplicadas a Portugal que não fazem sentido nenhum, falo de nos impingirem submarinos (também por culpa do outro retardado que os achou úteis), falo de nos regularem as exportações num nível geral, etc etc. Portugal podia ser sustentável. Portugal podia ter um país em condições. Não digo auto-suficiente, como Alemanhas, Chinas etc, mas sustentável. Numa situação de crise, ficaríamos mais aflitos, subiam ligeiramente os impostos e a coisa ficava controlada. Não seria preciso o descalabro como foi desta vez. Mas a culpa passa pelo cidadão - Para mim, o facto de o número absoluto de telespectadores da Casa dos Degredos ser maior que o número de votantes nas últimas eleições autárquicas, diz-me muito. Mas muito mesmo. As pessoas riem-se quando digo isto, mas eu falo sério. Ao mesmo tempo, o português está interessado constantemente em fugir ao fisco, pagar o menos possível de impostos. mas quer tudo também! Sempre foi assim, não é de agora e isto é uma generalização. Eu sei que muitos (eu um deles) é enrabado em impostos e a única coisa que pedimos é que usem vaselina, porque dói. Mas vocês não têm, secalhar, noção do espírito do Portuga e do empreendedor. Isto não ajuda. Nenhum dos meus patrões me pediu para dar desvio às contas, para fazer truques e mal-truques. Aliás, pelo contrário - Sempre me exigiram que fizesse tudo o mais legal possível. E sim, eles também estão a viver em Portugal. Lá fora, no país deles, ganha-se mais, mas as cargas fiscais são como as nossas. 40% ao todo. A diferença? É que eles dão muito mais condições - Portagens de borla, ensino semi-gratuito, etc. Vão-me dizer que Portugal não pode ser assim? Deixem-me rir.

Não vou tocar nas corrupções, não vou tocar nos lobbies, não vou tocar nos interesses. Tínhamos uma discussão para 2014 inteiro e acho que estes assuntos me deixam sempre um bocado sem vontade de viver e sem esperança na humanidade.
Cumprimentos,
Gustavo Silva

Por ePortugal!

Por nós!
Guesse
Caesar
 
Mensagens: 438
Registado: 23 fev 2009, 16:46
Highscores: 0

Re: César das Neves

Mensagempor Juhannus Petrus » 12 jan 2014, 15:57

Guesse Escreveu:
Citizen 99 Escreveu:Eu não estava a argumentar contra o que eles disseram, estava só a referir que como eles não são o que normalmente se considera por economistas, que pelo o que eu disse já não era de se esperar tanto consenso.

"mostrar que em economia, como quase em tudo na vida, não existem verdades absolutas."

Quando esse consenso existe.

According to a 1978 article in the American Economic Review, 90 percent of the economists surveyed agreed that the minimum wage increases unemployment among low-skilled workers.

http://en.wikipedia.org/wiki/Minimum_wa ... economists

Se é para argumentar contra o que eles disseram no relatório, tinha que começar por ler o relatório, coisa que não fiz.


Do nosso ponto de vista, a proposta de redução salarial no sentido de melhorar a competitividade não tem qualquer fundamento técnico-económico sólido e revela que quem a sugere não fez um mínimo de cálculos sérios sobre o assunto.


Bom, como estudante de economia, gestor de uma empresa e licenciado em gestão, tenho que vir deixar o meu bitaite porque já é o segundo grande disparate que vejo no mesmo tópico. Além disso, já é o segundo "economista" que vem dizer o mesmo. Primeiro foi o da Sonae, o Belmiro, e agora um (que eu pensava) bom escritor e estudioso da área.

Na verdade, em economia, diz-se que a redução do salário mínimo aumenta o emprego porque aumenta o poder competitivo das empresas. Mas só, ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE, num cenário de expansão. Posso demonstrar-vos isto com números, mas epa... É meia-noite e meia, estou cansado por causa da época de exames, e é uma coisa que dá trabalho. Mas enfim, por muito estranho que pareça, é uma realidade. Por outro lado, num cenário de retração, como o nosso, é uma situação bem pior - daí se criticar muito esta situação. Efetivamente, com a abolição de salários mínimos, as empresas têm maiores lucros. O ganho no excedente do produtor é muito superior à perda no excedente do consumidor - i.e., as empresas aumentam os lucros em 50%, mas os consumidores perdem 200%. (um mero exemplo, mas o princípio é esse EP > EC).

Fico muito infeliz e triste por ver o diretor de uma escola conceituada mandar um prego desses (2º Quote). O que eu disse acima é referido em Economia básica (não economia 101, mas possivelmente na 201).
Como vocês sabem, o consumismo é fundamental numa economia capitalista. Isto justifica porque é que numa altura de crise, não se justifica economicamente baixar o salário mínimo, mas numa altura expansionista sim. Como foi dito aqui, aumenta a competitivadade das empresas.
Sobre criar postos de trabalho, a história é outra - e aí eu acho que o problema não é de agora, sempre existiu, apenas sempre foi ignorado porque estava nos parâmetros considerados "normais". Eu trabalho com estrangeiros e os meus superiores são estrangeiros. Eu vejo a mentalidade deles relativamente às empresas, economia e impostos; Depois comparo com os meus colegas de trabalho, nacionais, portugueses (e gente bem formada, atenção) e ... Enfim, percebo porque há tanta coisa errada no mercado de trabalho. Andei meio-ano à procura de emprego. Não me quiseram empregar porque estava no mestrado (lol). Os estágios do IEFP são pagos a preço de escravo - Por amor de deus, um licenciado receber 600€? Ele paga o dobro disso em propinas num ano de faculdade !?!? Como esperam um jovem de 25-30 anos poder viver e consumir (para agitar a economia) com 600€ por mês? Exacto, não se consome, raciona-se a comida, começa-se a ir para o PC à luz da vela como eu fiz na licenciatura, começas a meter 500 peças de roupa em cima para não ligares o aquecedor, como eu fiz também.
Portugal não tem coragem para fazer o que se faz noutros países. Portugal virou "le bitch" da UE quando fez a adesão. Houve coisas que se compreendem, outras que era preciso alguém com tomates para bater o pé e meter juízo nas coisas. Falo das frotas pecuárias, falo das restrições agrícolas aplicadas a Portugal que não fazem sentido nenhum, falo de nos impingirem submarinos (também por culpa do outro retardado que os achou úteis), falo de nos regularem as exportações num nível geral, etc etc. Portugal podia ser sustentável. Portugal podia ter um país em condições. Não digo auto-suficiente, como Alemanhas, Chinas etc, mas sustentável. Numa situação de crise, ficaríamos mais aflitos, subiam ligeiramente os impostos e a coisa ficava controlada. Não seria preciso o descalabro como foi desta vez. Mas a culpa passa pelo cidadão - Para mim, o facto de o número absoluto de telespectadores da Casa dos Degredos ser maior que o número de votantes nas últimas eleições autárquicas, diz-me muito. Mas muito mesmo. As pessoas riem-se quando digo isto, mas eu falo sério. Ao mesmo tempo, o português está interessado constantemente em fugir ao fisco, pagar o menos possível de impostos. mas quer tudo também! Sempre foi assim, não é de agora e isto é uma generalização. Eu sei que muitos (eu um deles) é enrabado em impostos e a única coisa que pedimos é que usem vaselina, porque dói. Mas vocês não têm, secalhar, noção do espírito do Portuga e do empreendedor. Isto não ajuda. Nenhum dos meus patrões me pediu para dar desvio às contas, para fazer truques e mal-truques. Aliás, pelo contrário - Sempre me exigiram que fizesse tudo o mais legal possível. E sim, eles também estão a viver em Portugal. Lá fora, no país deles, ganha-se mais, mas as cargas fiscais são como as nossas. 40% ao todo. A diferença? É que eles dão muito mais condições - Portagens de borla, ensino semi-gratuito, etc. Vão-me dizer que Portugal não pode ser assim? Deixem-me rir.

Não vou tocar nas corrupções, não vou tocar nos lobbies, não vou tocar nos interesses. Tínhamos uma discussão para 2014 inteiro e acho que estes assuntos me deixam sempre um bocado sem vontade de viver e sem esperança na humanidade.


Obrigado Guesse! Alguém que percebe mesmo do assunto!
Economia é uma matéria que se estuda e não em que se pode ser autodidata.
Juhannus Petrus
 
Highscores: 0

Re: César das Neves

Mensagempor Citizen 99 » 12 jan 2014, 19:40

Como vocês sabem, o consumismo é fundamental numa economia capitalista.


O capital é que é fundamental numa economia capitalista, e apenas tens aumento de capital e crescimento económico sustentado com poupança aplicada em investimentos sólidos que aumentem a produtividade, ou seja, que aumentem a quantidade/qualidade de produtos para que sejam consumidos. Consumismo não aumenta produtividade por si só logo não produz crescimento económico nem melhorias das condições de vida.

Mas como poupança implica sacrifícios, em democracia quem ganha eleições é o consumismo e o endividamento.

Não abordaste a questão principal, apesar do tamanho da resposta que deste, a de andarem a propor aumentos dos salários mínimos para ajudar os "pobres", és a favor disso?

Let’s consider two other possibilities. For lack of better terms, call them Plan A and Plan B:

PLAN A The government subsidizes the incomes of low-wage workers. These subsidies are financed by increasing taxes on middle- and upper-income Americans.

PLAN B The government again subsidizes the incomes of low-wage workers. But under this plan, the subsidies are financed by taxing those companies that hire low-wage workers.

Stop reading for a moment and consider: Which of these plans would you prefer, and why? If you have a pen or pencil handy, jot down your reasons.

(...)

All in all, the Plan B tax-and-subsidy plan sounds like a pretty bad idea. Why, you might wonder, did I bring it up? Because it is the one favored by President Obama. He calls it an increase in the minimum wage.

N. GREGORY MANKIW is a professor of economics at Harvard.

http://www.nytimes.com/2014/01/05/busin ... share&_r=1

E não venhas dizer que o Mankiw não é um "economista", se fores ver as referências das tuas cadeiras de economia, provavelmente vais encontrar alguns dos livros dele por lá.
Avatar do Utilizador
Citizen 99
Napoleon
 
Mensagens: 586
Registado: 03 abr 2013, 00:31
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: César das Neves

Mensagempor Citizen 99 » 13 jan 2014, 22:31

http://www.ncpa.org/pub/ba792

Most of the Benefits of a Minimum Wage Increase Would Not Go to Poor Households

Most workers earning at or close to the minimum wage are not the sole earners in a household and most of them are not in poor households. For those two reasons, raising the minimum wage is not a targeted way to help poor people.


Only 11.3 percent of workers who would gain from the increase live in households officially defined as poor.


But even in this best case, they found that an increase to $9.50 per hour would destroy 468,000 jobs.


These estimates overstate the gains to households from increasing the minimum wage. Why? Because, to the extent they are able, employers will offset the higher minimum wage by reducing non-money components of worker compensation.


David R. Henderson is a Research Fellow with the Hoover Institution, Stanford University.
Avatar do Utilizador
Citizen 99
Napoleon
 
Mensagens: 586
Registado: 03 abr 2013, 00:31
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: César das Neves

Mensagempor Guesse » 17 jan 2014, 01:18

Citizen 99 Escreveu:
Como vocês sabem, o consumismo é fundamental numa economia capitalista.


O capital é que é fundamental numa economia capitalista, e apenas tens aumento de capital e crescimento económico sustentado com poupança aplicada em investimentos sólidos que aumentem a produtividade, ou seja, que aumentem a quantidade/qualidade de produtos para que sejam consumidos. Consumismo não aumenta produtividade por si só logo não produz crescimento económico nem melhorias das condições de vida.

Mas como poupança implica sacrifícios, em democracia quem ganha eleições é o consumismo e o endividamento.

Não abordaste a questão principal, apesar do tamanho da resposta que deste, a de andarem a propor aumentos dos salários mínimos para ajudar os "pobres", és a favor disso?

Let’s consider two other possibilities. For lack of better terms, call them Plan A and Plan B:

PLAN A The government subsidizes the incomes of low-wage workers. These subsidies are financed by increasing taxes on middle- and upper-income Americans.

PLAN B The government again subsidizes the incomes of low-wage workers. But under this plan, the subsidies are financed by taxing those companies that hire low-wage workers.

Stop reading for a moment and consider: Which of these plans would you prefer, and why? If you have a pen or pencil handy, jot down your reasons.

(...)

All in all, the Plan B tax-and-subsidy plan sounds like a pretty bad idea. Why, you might wonder, did I bring it up? Because it is the one favored by President Obama. He calls it an increase in the minimum wage.

N. GREGORY MANKIW is a professor of economics at Harvard.

http://www.nytimes.com/2014/01/05/busin ... share&_r=1

E não venhas dizer que o Mankiw não é um "economista", se fores ver as referências das tuas cadeiras de economia, provavelmente vais encontrar alguns dos livros dele por lá.


1º - Sabes o que é o capitalismo? Falo na sua vertente filosófica. Sabes? Ótimo! Não quero que respondas. Quero que penses nisso e depois faz a ponte para a vida real. Depois vais perceber porque é que tudo o que disseste sobre o consumismo está errado (isto, claro, numa economia capitalista). Nunca te esqueças - a economia é uma bola de neve. Indivíduos com dinheiro, mais compras (inclui investimentos em Poupança); Isto origina entrada de guita nas empresas; Contratam mais pessoas; Pagam melhor; Mais dinheiro? Repeat.

2º - Não te respondi? Secalhar não leste bem, ora vai lá ver :P Eu apoio o aumento do salário mínimo. E olha que não era para 500€ como eu já ouvi. Mais uma vez, é economia básica - Num cenário de retração o aumento de salários aumenta a produtividade económica por via do consumo, que só é o fundamental de uma economia. Se me negares isso, presumo então que os teus pais ganham 20.000€ cada um e, então, desde 2008 não têm sofrido problemas nenhuns. Ora eu, por outro lado, às vezes não tenho papel higiénico sequer.

Não queiras comparar a Economia Americana com a Portuguesa. Nós, somos nós. Eles, são eles. Não é por ser a América, é por ser outro país. O sistema de outros países, mesmo europeus, nunca iria funcionar em Portugal. Não estamos preparados para isso. Nos EUA, a visão do mercado de trabalho é totalmente diferente. É bem mais liberal que a que nós temos - se acham mal trabalhar a recibos verdes (ou pouco compensatório), tenho-vos a informar que é normal, nos EUA, contratar um gajo por 6 meses, mas ao fim de 1 despedirem-no porque afinal o trabalho foi feito mais rápido - E estamos a falar de Gestores e Contabilistas que são contratados a full-time como trabalhadores independentes (a.k.a. Recibos Verdes).

E, das duas, a opção B é a mais correta, dado o sistema fiscal deles, que é diferente do nosso. Obviamente, não o sei a pormenor, mas começa por pagarem menos IRC, não terem 1/3 das preocupações fiscais que nós temos (não há cá declarações de IVA trimestrais, nem pagamentos por conta). IRC, têm 20% de taxa federal e em alguns estados é cobrado 15%. Só o pagamento por conta são 1000€. Num cafézito, que não deve atingiro os montantes mínimos, vão logo 1000€. Como é que o gajo aguentara pagar essa M****? Exacto, não paga :joint: Já percebeste porque nunca é saudável comparar países diferentes? A realidade deles é completamente a leste daquilo que possas ler ou informar-te da nossa. Nós temos imensas especificidades que invalidam qualquer bitaite de americanos, FMIs, Troikas e essa malta. Quem sabe melhor do que ninguém o que se passa cá são os chamados Ministros da Economia e das Finanças. Mas esses são meros fantoches, ao que parece. Se continuarmos a conversa, falemos de Portugal, não dos USA. As outras quote têm muito que se lhe diga. Não vejo o ano de citação, para começar, e algumas parecem ridículas assim do nada.

E maior parte das citações são em cenário de economias em expansão - É o tal Economics 201 que falei à pouco ;)
Cumprimentos,
Gustavo Silva

Por ePortugal!

Por nós!
Guesse
Caesar
 
Mensagens: 438
Registado: 23 fev 2009, 16:46
Highscores: 0

Re: César das Neves

Mensagempor Citizen 99 » 17 jan 2014, 01:33

Mais dinheiro? Repeat.


Então se isso é assim como dizes, porque é que o BCE no nosso caso não imprime vá digamos 3x a quantidade de euros em circulação e dá aos governos que por sua vez dão ao pessoal para consumir, ah que tal? E assim pela tua lógica íamos ter 3x mais compras, bue dinheiro a entrar nas empresas, e empregariam bué gente mesmo 100% emprego e tal. Porque é que não fazem isso? São maus e querem nos ver sofrer? Mandem ai mas é o guito para o pessoal consumir!

E olha que não era para 500€ como eu já ouvi.


Era para o quê? 700€? Mas se podes definir o salário mínimo porquê só isso eu quero pelo menos 1000€ porra! Não melhor! 2000€ Salário mínimo, acho que o justo mesmo era ser 20000€ como meta daqui a 5 anos assim receberíamos todos o mesmo que os meus pais, acho que assim íamos acabar com a pobreza, aumentávamos bué a produtividade da economia.

É economia básica!
Avatar do Utilizador
Citizen 99
Napoleon
 
Mensagens: 586
Registado: 03 abr 2013, 00:31
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: César das Neves

Mensagempor SanosukePT » 17 jan 2014, 11:46

Eu não sou o Pro nisto, mas um estudante em economia tem os mesmos pensamentos que eu. Algo há de valer.


Então se isso é assim como dizes, porque é que o BCE no nosso caso não imprime vá digamos 3x a quantidade de euros em circulação e dá aos governos que por sua vez dão ao pessoal para consumir, ah que tal? E assim pela tua lógica íamos ter 3x mais compras, bue dinheiro a entrar nas empresas, e empregariam bué gente mesmo 100% emprego e tal. Porque é que não fazem isso? São maus e querem nos ver sofrer? Mandem ai mas é o guito para o pessoal consumir!



Já agora não li palavras dele a falar em imprimir dinheiro. Isso era desvalorizar a moeda.
O objectivo da ideia dele é fazer circular mais o dinheiro. Tal como eu havia referido.

Mas Guesse, não te canses, porque não vale a pena.

O caminho é o regresso à escravatura :joint:
SanosukePT
Plato Wanna be
 
Mensagens: 1158
Registado: 10 Oct 2013, 23:45
Highscores: 1
Profile @ eRepublik

Re: César das Neves

Mensagempor Dr. Dog » 17 jan 2014, 12:30

Comunists, comunists everywhere
Imagem
Avatar do Utilizador
Dr. Dog
Plato Wanna be
 
Mensagens: 1665
Registado: 27 jan 2013, 22:49
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: César das Neves

Mensagempor Juhannus Petrus » 17 jan 2014, 13:47

Meus amigos a solução é simples e já foi percebida pelo governo:

- Aumentar as Taxas Moderadoras e acabar com a comparticipação em n medicamentos necessários para as pessoas idosas... Porquê? Somos uma população envelhecida como tal, a nossa segurança social está sobrecarregada (mais pessoas a chupar o dinheirinho da CGA e menos a descontar), como a maior parte dos idosos ganham uma reforma de penúria, não conseguem pagar as TMs, não vão ao médico, não conseguem pagar a medicação, não tomam os medicamentos - isto, leva-os a morrer mais cedo e menos dinheiro é gasto neles.

- Incentivo à emigração de jovens... Porquê? Menos desempregados (e muito menos desempregados que nunca descontaram) e não preciso de dizer mais nada!

Isto é a Nova Ordem Mundial... Onde os ricos ficam mais ricos e os pobres... bem ficam mais pobres ou nem ficam porque mais fundo não podem ir!

Portanto, acho que estamos no bom caminho para a recuperação económica! Aliás a Seg. Social até recuperou grande parte do buraco que tinha, segundo uma notícia de ontem (http://economico.sapo.pt/noticias/seguranca-social-recupera-mil-milhoes-em-dividas_185315.html)

It's all folks!
Juhannus Petrus
 
Highscores: 0

Re: César das Neves

Mensagempor Dr. Dog » 17 jan 2014, 14:41

Quase todos se não todos os pensionistas com reformas mais pequenas estão isentos dessas taxas e de outras.

E o artigo que referes em nada tem a ver com a redução de despesa da seg social, nem creio que tal seja possível.
Imagem
Avatar do Utilizador
Dr. Dog
Plato Wanna be
 
Mensagens: 1665
Registado: 27 jan 2013, 22:49
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: César das Neves

Mensagempor Juhannus Petrus » 17 jan 2014, 16:54

Dr. Dog Escreveu:Quase todos se não todos os pensionistas com reformas mais pequenas estão isentos dessas taxas e de outras.

E o artigo que referes em nada tem a ver com a redução de despesa da seg social, nem creio que tal seja possível.


Não percebeste a minha ironia, pois não? E quanto às taxas, a nível de comparticipações caíram muitos apoios a vários medicamentos.

Simplesmente, há coisas no nosso país que me fazem pensar, para que serviu o 25 de Abril?

Pois, estamos a regressar ao passado em certas políticas a nível financeiro e social, onde quem é rico safa-se quem tem pouco que se lixe...

E já que se fala tanto nos EUA como uma "utopia" e uma referência que todos os países deviam de seguir, sabiam que nos "States" não existe SNS? Por exemplo, em Portugal os doentes oncológicos são todos tratados e o Estado encarrega-se das despesas. Nos EUA, se tens dinheiro consegues acesso aos tratamentos, pagando um seguro de saúde, mas se não tens, morres, porque o Estado não paga os teus tratamentos.

E isto leva-me de encontro ao que o Guesse disse - não podemos comparar o incomparável!

E agora sim, falei a sério... Porque eu estive em Ciências Socioeconómicas do 10º ao 12º ano, ou seja, já vão uns aninhos e não estou na área de Economia neste momento, portanto para não fazer figurinhas como muita gente faz, não falarei do que não sei! Agora em questões sociais, sinto-me completamente à vontade de falar e o exemplo que dei em cima ilustra bem, o que a ideologia do Neoliberalismo (assumida pelo nosso governo) pretende: Enfraquecer o Estado-Providência (Estado Social) e enfraquecer os mecanismos de concertação social.
Juhannus Petrus
 
Highscores: 0

Re: César das Neves

Mensagempor Dr. Dog » 17 jan 2014, 18:08

Eu tb tive apenas cadeira e meia de economia na faculdade, mas existem assuntos cuja objectividade nao exige que se domine uma qualquer teoria.

Mas já é a segunda vez que vejo alguém a fazer esse tipo de crítica aqui. Muita gente é quem? Eu também acho que o guesse esta a fazer " figurinhas" pois não concordo com as conclusões dele. Economia não é uma ciência exacta e indubitável.

E não te esqueças do obamacare.
Imagem
Avatar do Utilizador
Dr. Dog
Plato Wanna be
 
Mensagens: 1665
Registado: 27 jan 2013, 22:49
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: César das Neves

Mensagempor Juhannus Petrus » 17 jan 2014, 19:05

Dr. Dog Escreveu:Eu tb tive apenas cadeira e meia de economia na faculdade, mas existem assuntos cuja objectividade nao exige que se domine uma qualquer teoria.

Mas já é a segunda vez que vejo alguém a fazer esse tipo de crítica aqui. Muita gente é quem? Eu também acho que o guesse esta a fazer " figurinhas" pois não concordo com as conclusões dele. Economia não é uma ciência exacta e indubitável.

E não te esqueças do obamacare.



Mas para formares a opinião que tens agora e a defenderes tiveste que ter bases... Uma cadeira e meia faz a diferença! Outra coisa é seres autodidata em Economia, só porque lês uns livros e umas teorias pomposas e depois como só sabes isso e mais nada cais no erro de aplicar teorias que surgem de outras consequências e de outras realidades em contextos completamente diferentes. O exemplo que deram tantas vezes aqui EUA - Portugal é a maior estupidez de sempre! Países diferentes, contexto diferentes ponto! Isso é o mesmo que aplicares um tratamento de gripe num doente com cancro, só porque leste mais sobre a gripe e as teorias da gripe são bonitas.

A Economia não é uma ciência exacta. Pois não e dou-te razão... Mas não é exacta pelo mesmo motivo que dei acima, porque depende de contexto para contexto.
Juhannus Petrus
 
Highscores: 0

Re: César das Neves

Mensagempor Citizen 99 » 17 jan 2014, 22:45

"Outra coisa é seres autodidata em Economia"


O Karl Marx era um autodidacta em Economia. Tens razão é preciso ter cuidado!
Avatar do Utilizador
Citizen 99
Napoleon
 
Mensagens: 586
Registado: 03 abr 2013, 00:31
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: César das Neves

Mensagempor Citizen 99 » 07 fev 2014, 03:12

Imagem

Nâo sei porque é que recusaram, se toda a gente recebesse 40 PTE ajudavamos os pobres e aumentavamos o consumo e isso. Esta gente só quer ver mesmo o pessoal a sofrer para recusar aumentar o salário mínimo!
Avatar do Utilizador
Citizen 99
Napoleon
 
Mensagens: 586
Registado: 03 abr 2013, 00:31
Highscores: 0
Profile @ eRepublik

Re: César das Neves

Mensagempor SanosukePT » 07 fev 2014, 14:15

Índice do Fórum ‹ Mundo Real ‹ Política
SanosukePT
Plato Wanna be
 
Mensagens: 1158
Registado: 10 Oct 2013, 23:45
Highscores: 1
Profile @ eRepublik

Anterior

Voltar para Arquivo

Quem está ligado:

Utilizadores a ver este Fórum: Nenhum utilizador registado e 5 visitantes

cron